Eu, mãe!!

30 de junho de 2013 4 comentários

Bom, marido e eu nos conhecemos há 12 anos e estamos há 8 casados. Em meados de 2004, quando estávamos noivos, descobri que estava grávida. A gente não tinha planejado, mas enfim, havia acontecido e estávamos mega felizes. Mas, essa felicidade durou apenas 3 dias .

Um belo dia eu acordei com fortes dores, como se fosse cólicas (hoje sei que eram contrações) , fui até o banheiro e quando me levantei tomei um susto. Muito sangue e uma coisinha no meio daquilo tudo, desesperada liguei pro médico que me pediu pra ir ao hospital e lá constataram que eu havia tido um aborto espontâneo de um feto de 9 semanas.

Meu mundo veio ao chão, eu não queria acreditar, eu não entendia o porquê, eu queria fugir, enfim, fiquei péssima. Foi uma fase bem difícil, marido e eu chorávamos todos os dias. A gente não entendia o porquê de tudo aquilo.

Um tempo depois em consultas de rotina descobri que estava com um nódulo no colo do útero, um tumor e este já estava do tamanho de um limão. O médico me deu duas opções: A mais fácil era tirar o útero, a mais difícil era um tratamento com remédios fortíssimos e que não garantiriam a cura.

Outra fase mega difícil... Foram 2 meses de tratamento, tomando injeções diariamente, mas enfim graças a Deus o tratamento deu certo e eu já não tinha mais o tumor, porém o médico me dizia que eu poderia não conseguir engravidar...

Foram 5 anos tentando engravidar. Cinco anos chorando a cada mês. Cinco anos sendo uma Tentante...

Em 2008, quando eu já havia desistido, tudo aconteceu e meu Filho hoje é meu Tudo!!

O que eu aprendi disso tudo? Muitas coisas:

Todas essas dificuldades serviram para eu ser a melhor mãe que eu posso ser. Hoje eu valorizo cada segundo, cada gesto do meu filho. Sim, tudo isso serviu pra me moldar como mãe, me ensinou a seguir os meus instintos e acreditar nos meus sonhos, ora meu maior sonho era ser mãe e aqui estou hoje.

Tudo isso me ensinou a valorizar os detalhes mais pequenos, as coisas mais simples. Me ensinou que a vida pode dar voltas e muitas vezes essas voltas são a favor de nós.

Hoje eu sou uma mulher que aprendeu a jogar bola, a brincar de carrinho, a soltar pipa, a rodar pião, até de skate eu já andei! Uma mulher que tem ao lado um homenzinho, que está pouco se importando se eu fiz escova no cabelo ou se estou com batom e maquiada. Que gosta de me ver com as mãos sujas de tinta e de terra, que gosta de me ver correndo sem rumo pelo parque pra brincar de pega pega... Uma mulher que ri de tudo e de todos.

Quer saber? A maternidade inspirou o melhor de mim, pois hoje eu sou mãe, sou mulher e sou Feliz.

Por isso minhas amigas, não importa o tipo de mãe que a gente é, o importante é o tipo mulher que a maternidade nos tornou .


Bjs grande!!




* E você que acompanha essa coluna do MR, participe. Envie sua postagem para mamaesemrede@gmail.com e veja o seu relato influenciando as mamães em rede.



4 comentários:

  • Jamilly Mãe do Lucas Davi disse...

    Pura verdade, a maternidade nos torna pessoas melhores, mulheres mais fortes e carinhosas.

    beijos

    Equipe Mr convite especial: participe da Bc Recordando, Aprendendo e Brincando será um prazer te-las conosco. http://www.maeparasempre.com/2013/06/e-amanha.html

  • Jackeline Graça disse...

    Querida obrigada pela participação!!! Me emocionei com o seu depoimento por que também tive um aborto espontâneo antes de engravidar do Davi, não foi uma gravidez programada, foi difícil pra eu aceitar e quando eu aceitei a gravidez, quando comecei a desejar o meu filho, eu o perdi. Fiquei muito mal e anos depois disso comecei a ter alguns pequenos problemas de saúde e achei que nunca engravidaria, e eis que surgiu o Davi na minha vida, descobri a gravidez eu já estava de 4 meses, casada a 1 ano e nenhuma expectativa disso acontecer. E meu filho mudou tudo em mim, eu digo sempre que nasci a 3 anos atrás pois hoje existe muito pouco do que eu era antes, e essa perda inicial me fez proteger e amar ainda mais o meu filho, por que além de tudo durante a gravidez dele todo mês eu tinha sangramentos e achava que ia perdê-lo. Por isso aproveito cada dia e cada momento com meu pequeno, pois eu o desejei demais e lutei demais pra que ele estivesse aqui.

    beijosssssssssssssssss e desculpe o comentário enorme :)

  • Mamães em Rede disse...

    Grazi, há qto tempo te conheço e não sabia dessa sua experiência.
    Adorei o seu relato de esperança, fé e muita emoção.
    Obrigada por participar de nossa coluna.
    Grande abraço, Genis

  • Grazi, mãe do Principe disse...

    Genis, linda, é verdade , bem poucas pessoas sabiam dessa historia , ela aina me dói as vezes , mas com ela aprendi a ser melhor e acredito que Deus nunca faz nada por acaso .
    Eu que agradeço a honra .
    bjs

Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design