Profissão Mãe

16 de junho de 2013 10 comentários

É muito comum em uma conversa as pessoas perguntarem com o que trabalhamos, porém é muito mais comum nos dias de hoje a pessoa em questão principalmente se for mulher dizer que trabalha fora, conseguimos, somos independentes, exercemos profissões até que nos faz mais remuneradas que os homens, um grande passo da mulher na sociedade!

Só que eu e muitas outras mulheres no meio de toda essa conquista fizemos uma escolha, escolhemos uma profissão que não precisa de nenhum diploma, tudo que conseguimos é na base da prática, da experiência, somos mães profissionais! Claro, as coisas mudaram, hoje em dia as mães em tempo integral são vistas como mulheres sem instrução, submissas e muitas vezes somos tachadas de "A toa", coisas que não são verdade como bem sabemos, mas em compensação temos muitas recompensas também.

Eu em particular decidi ser mãe em tempo integral por puro medo, confesso. Eu sou filha única de pais que trabalham até hoje, quem cuidava de mim enquanto eles estavam fora era minha tia e por causa dessa presença constante dela na minha vida nos tornamos muito amigas, do tipo que eu deixava de contar as coisas para minha mãe para contar para ela, coisa de louco né?! Então tenho medo de ser ausente apesar de ver tantos exemplos de mães que trabalham fora e são super presentes, coisa minha mesmo. Depois quando eu atingi mais idade eu sonhava em ser uma mulher de negócios e super independente, até que as coisas na minha vida foram caminhando para um lado totalmente oposto.

Casei e me tornei mãe, coisa que nem imaginava que iria acontecer comigo e como de praxe a culpa me acompanhou dizendo: "Se você for mãe em tempo integral não vai deixar nada de bom pro seu filho e no futuro quando ele for embora o que vai sobrar para você?" Esse é o filme de terror que sempre passa na cabeça de uma mãe full time, medo de estar fazendo a escolha errada, medo de não dar orgulho ao filho e tudo mais, mas sabem de uma coisa?! Eu dei a volta por cima de toda essa culpa!

Hoje em dia eu sou agradecida, agradecida de estar presente em grandes momentos do meu filho, de poder ter tempo para passar pra ele todas as coisas que eu acho importantes com calma e não me pressiono mais, só que para chegar a esse ponto é preciso passar por uma série de etapas:

1 - Realmente ter certeza que é isso que você quer e arcar com todas as consequências de ser mãe em tempo integral, assim como as mães que trabalham nem tudo são flores, manter a sanidade cuidando de casa e filhos também pode ser mais difícil do que parece!

2 - O mais importante! Ter certeza de que sua renda familiar é capaz de manter bem a família com um só membro trabalhando fora, a opinião do marido ou companheiro é super importante!

3 - Ter um plano B. Eu faço faculdade de veterinária, tranquei para cuidar do meu filho mas pretendo voltar quando for possível, é algo que estou fazendo por gosto, sem pressões e se algum dia eu precisar já tenho uma opção.  Não precisa ser faculdade, mas é bom a gente sempre ter uma carta na manga, fazer algum cursinho mesmo que por diversão ou para aprender algo mais!

Depois de passar por tudo isso e conversar muito com o marido, eu decidi que esse é o plano e é o que mais se encaixa na vida que queremos ter em família, sou mãe, existe profissão mais bonita? 


Meriene é autora do blog Mommy Rock.



* E você que acompanha essa coluna do MR, participe. Envie sua postagem para mamaesemrede@gmail.com e veja o seu relato influenciando as mamães em rede.


10 comentários:

  • Genis Borges disse...

    Olá Meriene, essa coluna é maravilhosa, pois nos permite conhecer um pouco mais das nossas amigas blogueiras.
    Adorei saber um pouquinho mais sobre vc e sua linda decisão de ser mãe full time.
    Um grande beijo, Genis

  • Mamães em Rede disse...

    Querida, muito obrigada por sua participação aqui no MR. Volte sempre!

    Muito bom o seu depoimento sobre abrir mão da vida profissional, para se dedicar exclusivamente à maternidade.

    E o mais bacana do seu post é que em nenhum momento vc falou mal das mães que trabalham fora, ou seja, as que optaram por um outro plano.

    Um grande abraço e um lindo domingo em família pra vcs!

    Equipe Mamães em Rede / Genis

  • Divagações da Mamãe Tê disse...

    Meriene, e como disse meu primo ontem: Se o plano A não deu certo, temos mais 25 letras do alfabeto pela frente... vamos tentar então.

    Engraçado é ver como as mães tem os mesmos medos e o pensamentos bem parecidos.

    Quando solteira falava que se casasse e tivesse filhos, com certeza iria trabalhar. E hoje estou como você: casada, com uma filha e a educando em tempo integral.

    Importantes sim os aspectos que você abordou. E o marido tem uma participação muito importante nessas decisões... A força, o apoio dele, seja para trabalhar ou ficar em casa, é de extrema valia.

    Tive Maria, fiquei com ela até 2 anos e 2 meses quando entrou na escola. Procurei então emprego em meio-periodo sem êxito.
    Continuei em casa. Além de não ter tido oportunidade no mercado de trabalho, fui me aquietando no sonho de educá-la sem interferência integral de uma babá ou escola.

    Não tinhamos (e ainda não temos) parente algum ou amigos bem proximos por perto. Então, era contar com a mamãe mesmo para ficar com ela...

    Claro que a realidade de muitas mães é diferente. Seja por necessidade ou por preferência. E tudo é válido..

    Mas aqui estamos nós, sendo mães integrais, com medo ou sem medo, mas cumprindo nossa missão maravilhosa que nos coube... seja de que jeito for..

    Parabéns por sua participação aqui no MR.
    Seja sempre bem-vinda. Adorei!

    Beijos
    Teresinha Nolasco/Equipe MR e Bolhinhas de Sabão para Maria

  • Meriene Zamprogno disse...

    Exatamente assim aqui, se não for eu para cuidar não há mais ninguém por que meus pais até hoje trabalham e minha sogra ja tem idade avançada, isso pesou muito na minha decisão também!

  • Larissa Andrade disse...

    Oi Meriene!
    Muito bom o seu texto falando sobre ser mãe em tempo integral! Neste momento, também fiz essa escolha e é muito importante estarmos em sintonia nas decisões com nossos companheiros.
    Sou muito a favor da ideia de que cada família sabe das suas reais necessidades, do seu perfil e de sua dinâmica.
    Parabéns pela escolha!!
    Beijos,
    Larissa Andrade.

    www.maternidadeecotidiano.blogspot.com.br

Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design