Relatos sobre minha gravidez - Hiperemese gravídica

9 de junho de 2013 14 comentários


Oi queridas amigas(os)!!! Tudo bem? Espero que sim.

Vocês já ouviram falar em Hiperemese gravídica ??? Eu até há pouco tempo ''Não''.

Mas, como amo visitar blogs materno, me deparei com um relato de uma mãe que já teve Hiperemese gravídica e vocês não acreditam que me identifiquei muito com o relato dela, pois sem saber também tive  Hiperemese gravídica na minha gravidez?

Bem, como já disse aqui, durante minha gravidez engordei muito pouco, devido aos vômitos frequentes e esse sintoma se chama Hiperemese gravídica. - Deixando bem claro que esses enjoos não são nada parecidos com aqueles enjoos que muitas mulheres sentem no inicio da gravidez.

A hiperemese gravídica está ficando conhecida pelo fato da Princesa Kate estar tendo esses sintomas. Só quem já passou por isso sabe que não são apenas enjoos matinais e sim vômitos frequentes que não são tratados com remédios e muitas das vezes as futuras mamães ficam internadas para reposição de líquidos e vitaminas.

Vejo várias mães que dizem sentir saudade da barriga de gestante, pois eu não tenho saudade nenhuma da minha gestação, acho que deve ser porque eu tive uma gestação em que passei muito mal... Todos dizem que gravidez não é doença, mas eu me sentia doente e não é frescura, pois sou muito forte para doença, não me abato fácil.  

Vivi muitos momentos tristes na minha gravidez. Não gosto nem de lembrar, pois doí muito. Então vamos ao relato da minha gravidez.

Meu amado filho foi programado e muito desejado e com sete dias de 'atraso' nós já sabíamos que eu estava grávida. Estava tão precoce que nem o teste de farmácia deu positivo, apenas o de sangue. Acho que isso foi muito ruim para mim, pois o tempo demorou a passar durante toda a gravidez.  Fiquei muito ansiosa. E já nas primeiras semanas comecei a passar mal, sentia muitos enjoos e vomitava a todo instante e qualquer coisa que comia e assim ficava fraca e sem ânimo para nada. 

Fui ao médico várias vezes e ele sempre dizia que era normal até o terceiro mês e me receitou Dramim B6, mas o remédio não fazia efeito. Continuei com enjoos e vômitos do mesmo jeito e esperando a chegada do terceiro mês... Durante essa espera, fiquei internada várias vezes tendo que repor líquidos através do soro na veia e claro perdi 4 kg. Cheguei a vomitar sangue várias vezes .

E o terceiro, quarto mês chegou e os enjoos não melhoravam. Os remédios não faziam efeito e eu continuava tomando, a fraqueza,  o desânimo também persistiam. A partir daí, meu emocional também ficou muito abalado.

Eu desejei, amei meu filho desde o primeiro instante e jamais o culpei ou rejeitei pelo mal que eu estava sentindo, sabia que ele não tinha culpa nenhuma, que passar mal fazia parte do meu eu,  mas eu queria muito ser como as outras gestantes que sai com aquele barrigão toda feliz. Apesar de estar muito feliz com minha gravidez, não conseguia demostrar isso. Não entendia como eu podia passar tanto mal, não conseguia aproveitar minha gravidez, pois eu só pensava em não passar mal, não vomitar e, com isso, eu ficava só deitada, desanimada, e no banheiro vomitando. O pior é que não conseguia engolir minha saliva, então ficava só cuspindo, andando com um balde pela casa ou segurando o cuspi na boca. Sei que é nojento, mas passei os nove meses assim: vomitando, chorando, cuspindo, deitada e dormindo. Foram dias terríveis. Quantas vezes chorava no banho para ninguém ver, quantas vezes pedia a Deus para me ajudar, mas ele sabe o que faz. Ele me deu um filho saudável  cheio de saúde, um parto maravilhoso.

Mas, voltando ao assunto... os meses foram passando e eu esperando uma melhora e nada, passei quase os nove meses assim. Nos últimos meses, os vômitos diminuíram, mas não acabaram e devido a tudo isso foi muito difícil para mim arrumar o enxoval e o quartinho do amado filho. Meu marido que fez quase tudo. Ele ia nas lojas olhava, separava e depois eu só ia comprar com ele, mas rapidinho porque só de pensar em sair eu enjoava. Tinha muito medo de vomitar na rua, perto das pessoas e um dia insisti e fui com ele na feira. Quase morri lá, pois passei mal, vomitei e quase desmaiei. Foi terrível e por isso tinha medo de sair, de comer, muitas vezes deixava de comer para não vomitar depois. Como queria ter comido para dois ou coisas simples que amo comer como carne, ou beber um copão de água.

Enfim, passei os nove meses doente, doente fisicamente pelo efeitos severos dos vômitos e doente emocionalmente por não poder fazer as coisas da forma que eu imaginei ou do jeito de uma gestante ''normal'', de não ter conseguido aproveitar minha gravidez como queria.

Durante todo esse tempo, ninguém me falou que tudo isso que senti tinha um nome, nem mesmo os médicos sabiam me dizer o porquê de tantos enjoos e vômitos. Me sentia muito sozinha e sem informação. E por esse lado, isso foi bom estar acontecendo com a princesa Kate, para que assim haja mais informação sobre essa doença ou sintomas, tranquilizando as mamães que estão passando ou já  passaram por isso.

Deixo esse  link aqui para as pessoas que quiserem saber mais sobre o assunto, pois aqui não quis falar de forma técnica sobre a doença e sim contar um relato verdadeiro de quem já passou por tudo isso. E para as mamães que estão passando por isso, calma que tudo vai valer a pena.

Mesmo passando por tudo isso que contei para vocês, agradeço a Deus por ter tido o meu filho, ele é tudo na minha vida e eu passaria tudo de novo por ele.

Desculpe-me por tantos vômitos...kkkkkkkkk

Uma fotinha da minha gravidez para matar a saudade...rs

Bjos e até mais!!!!!!





* E você que acompanha essa coluna do MR, participe. Envie sua postagem para mamaesemrede@gmail.com e veja o seu relato influenciando as mamães em rede.


14 comentários:

  • Gleysa Lopes disse...

    Nossa eu nunca tinha ouvido falar disso, e nem sabia que as mamães poderiam ficar assim a gravidez inteira! Mas graças a Deus passou e hj vc esta com seu filhote lindão!!!
    Obrigada por compartilhar essa informação tenho certeza que vai ajudar alguma mamãe!!!

    Bjs
    Gleysa

  • Genis Borges disse...

    Oi Tatty querida, adoro suas participações no MR. Seja sempre muito bem vinda.
    Eu não tinha ouvido falar sobre essa doença. Na minha gravidez eu tive enjoos matinais, mas que só passaram quando ganhei JM. As pessoas diziam que ia passar, ia passar, mas nunca passavam, mas eram só quando eu acordava. Vomitava, vomitava, tomava banho e ficava bem. Uma rotina mesmo.
    Imaginei tudo o que vc viveu, mas quem sabe na segunda gravidez seja diferente, né?
    Grande beijo, Genis

  • Mamães em Rede disse...

    Tatty, seja muito bem vinda sempre aqui no MR. Seus posts enriquecem nossa coluna aos domingos.
    Interessante este tema e nunca tinha ouvido falar. Na verdade, muitas pessoas acham que mulher grávida tem frescura e nós que já passamos por tantas coisas, sabemos que não é bem assim. É um momento delicado, que precisa de cuidados e com sua ajuda, aprendi mais uma coisa importante vivida nesse momento.
    Grande abraço, Genis e Mamães em Rede

  • Divagações da Mamãe Tê disse...

    A gente acha que sabe tudo, mas tem sempre uma coisa a aprender sobre gestação e maternidade.
    Acho que temos que desconfiar de tudo que é anormal e os médicos deveriam levar mais a sério o que sentimos. Uma pena que na maioria das vezes não é assim..

    Parabéns pelo relato e graças a Deus agora está tudo bem com vocês..

    Beijos e bem-vinda no MR.

    Teresinha Nolasco/MR e Bolhinhas de Sabão para Maria

  • Tatty Nunes disse...

    Adorei participar, e espero que com esse relato possa ajudar algumas mamães que estão passando pelo mesmo que passei.
    Obrigada a todas vocês por tudo!
    Bjos
    Tatty

  • Carol Meoli disse...

    Nossa,Tatty não conhecia, e sempre imaginei que as gravidinhas sempre ficavam enjoadinhas apenas até o terceiro mês de gestação!!!
    Tá vendo como a gente acha que sabe de tudo...

    Obrigada por nos informar!!!

    Beijinhos

  • Jackeline Graça disse...

    Nossa Tatty eu já havia ouvido falar mas nunca imaginei que fosse assim. Eu nunca tive um enjoo sequer na gravidez, tanto que descobri apenas com 4 meses, e falo pra todo mundo que foi uma gravidez maravilhosa, sem sintomas. Até pra nascer o Davi não me deu sintoma, eu já tava com 4 dedos de dilatação e não senti nada!!!!!!

    beijossssssssssss e obrigada por dividir a sua história, eu acho muito útil para as mamães de primeira viagem e as que pretender ter mais filhos.

  • Anônimo disse...

    Revivi minha gravidez inteira agora lendo seu post, só quem passou por isso sabe do quanto é difícil, não conseguia ganhar peso, a força que fazia com a ânsia, o meu bebê quis nascer aos 4 meses e meio, passei quase toda a gestação internada, na minha carteirinha de gestante já não havia mais espaço pra consulta, não pude ter uma foto do nascimento do Arthur, quando ele veio no meu colo eu estava vomitada :( foi muito difícil, depois que foi descoberto que a princesa tinha, foi que veio o preconceito, falavam que era frescura, que isso só dava em gente rica, que eu queria ser o centro das atenções, oi? Só Deus sabe os medos que senti, de não conseguir segurar ele até o final da gestação, mas graças a ele meu amor veio saudável e lindo, pesando 2.667 gr e medindo 48 cm <3

Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design