Pós-Parto:Os primeiros dias.

25 de setembro de 2012 16 comentários



O dia tão esperado por todas as grávidas finalmente chega. Você está com seu bebê nos braços, mas está também cheia de incertezas, cansaço, medo e tudo misturado em uma alegria de ter conseguido  chegar naquele momento.

Os primeiros dias após o parto não costumam ser as mil maravilhas como você vê na televisão, principalmente se você teve um parto cesárea, pois além de tudo a dor acompanha você por muitos dias, experiência própria. Na verdade acho sinceramente que a televisão e as revistas deveriam mostrar mais as dificuldades em que ficamos sujeitas e como lidar com elas, ao invés de mostrar um mundo cor-de-rosa o qual faz muitas mães se sentirem frustradas por não atingir.

Essa idealização é o que muitas vezes faz o vinculo mãe+bebê demorar a se formar, por que acreditem, por mais que vocês amem o seu bebê, vai demorar um pouco a pegar o jeito e as manhas dele, entender cada choro é questão de tempo, o seu filho não virá com manual e muito menos irão carregar um software de super mãe em você, então comece esses dias com o essencial:  Amor e falta de culpa.

Hoje vou falar realmente do início: Visitas ,Amamentação, Alimentação, Sono e a Participação do Pai.

(Vou incluir algumas opiniões minhas, experiência e dicas pesquisadas)

*Visitas: As visitas, tanto na maternidade como em casa, não devem ser frequentes ou prolongadas, pois trazem transtornos à rotina da mãe e do bebê. ( Na minha opinião as visitas no hospital devem ser somente para a família, pois a mãe está realmente cansada, normalmente com a aparência de cansada e querendo se entender com o bebê, além de estar tentando amamentar e um quarto cheio não ajuda nessa parte, mas são bons períodos pois você terá o restante do dia para sentir saudade do mundo lá fora, então as visitas te trazem esse frescor, essa sensação de conexão com o seu mundo antigo e se sentir querida nesse momento. Quanto as visitas em casa também sou a favor de serem aos poucos, jamais pela manhã pois é muito provável que a mãe tenha passado uma noite e tanto, mas são muito válidas no começo , é bom a mãe poder ter com quem contar, poder deixar o bebê um pouco com alguém para tomar um banho um pouco mais longo, comer mais tranquila, eu aproveitava muito essas visitas para isso, pois o Davi foi um bebê extremamente chorão, além de ser muito bom conversar com alguém que te responde, você vai passar muito tempo falando com alguém que nem entende o que você diz. Mas não é muito legal ter uma grande quantidade de visitas assim que você sai do hospital, acreditem, quando eu cheguei em casa com o Davi tinha um batalhão familiar me esperando e tudo que eu queria era deitar por que meus pontos doíam e ficar com meu filho que não parava de chorar por que eu não tinha leite e a constante pergunta de todos do por que eu não tinha leite me deixava ainda mais nervosa).


*Amamentação: Acredite, nem todas as mães tem leite logo após o parto e não se sinta mal por isso, cada organismo reage de um jeito, o importante é ter uma boa orientação e persistência, não tenha vergonha de chamar a enfermagem quantas vezes você sentir necessidade, pois esse primeiro momento é o ideal para tirar muitas dúvidas que só a prática nos traz. Durante a gravidez obtemos muitas informações, que são muito importantes para nos orientar neste momento, porém existem dúvidas e anseios que só irão surgir na prática, por isso não se esqueça de que agora você é Mãe e que vergonha de se informar não combina com a sua nova fase, pergunte, insista e persista.

Não se desespere, e nem desista por que as primeiras tentativas não foram bem sucedidas, ou por que dói algumas vezes, sim dói. Muitas mães ficam com o bico rachado e sentem dor nas primeiras amamentações, mais uma vez esqueça os comerciais de TV, as idealizações e a culpa, esse é um momento seu e do seu bebê, e a fase de dor e tudo mais não dura por muito tempo e se você pedir ajuda no hospital eles vão te ensinar a pegada certa, cremes para o bico e tudo mais, mas nada disso vai pra frente sem que você persista em amamentar, sem que você esteja consciente que é difícil sim no começo, mas tudo vale a pena pelo seu bebê e que você pode buscar ajuda, inclusive do pediatra dele.

Nessa fase é muito comum as pessoas te deixarem ainda mais frustrada, siga seu instinto de mãe e mais uma vez procure profissionais para te ajudar, esqueça aquela tia distante dizendo que toda mãe tem muito leite e que ela amamentou alegremente seus 10 filhos logo que nasceram.Como eu disse esse é o SEU momento com o BEBÊ e cada um tem uma experiência diferente que não a faz melhor ou pior que qualquer mãe no mundo.

Dicas:

Não use a bombinha para puxar o leite caso você não tenha leite, isso só vai rachar ainda mais o seu seio.

Após a descida do leite é muito comum o leite empedrar devido ao excesso de leite, uma boa dica são as conchas de amamentação, elas colhem o leite que muitas vezes vaza quando o seio está muito cheio impedindo que o leite empedre na mama.

Caso seu bico fique rachado, após a mamada passe um pouco do leite em toda a auréola (Dica dada pela orientadora da Casa da Vó Benedita em Santos/SP.)

Caso você tenha muito leite, ordenhe um pouco retirando a parte mais rala, assim seu bebê vai pegar mais do leite “gordo” ajudando ele a pegar peso e ficar mais nutrido. ( essa parte da diferença do leite, eu tive que aprender mesmo, também com orientação, pois acontece de mães como eu que após alguns dias sem leite, terem leite demais, eu tinha leite para amamentar o Davi o dia inteiro se ele quisesse, e como o meu seio sempre estava extremamente cheio, algumas vezes o Davi estava satisfeito antes de chegar no leite mais consistente, então tirava um pouco antes dele mamar, as conchas de amamentação também me ajudaram nesse ponto, pois meu seio estava sempre vazando e quando o Davi pegava para mamar ele mamava boa parte do leite mais cheio de nutrientes.)


*Sono: Neste item a questão não é o sono do bebê e sim o seu. Infelizmente muitas das vezes em que você escutou “durma agora, pois você não vai dormir depois”  não foi uma observação totalmente equivocada. A mãe fica mesmo mais alerta e com o sono muito mais leve,capaz de muitas vezes acordar apenas com os suspiros do bebê enquanto ele dorme. Creio que isso também se dá pela nossa insegurança, pela necessidade de saber que o bebê está constantemente bem, seja de dia ou de noite. ( Eu costumava dormir com a mão na barriguinha do meu filho para sentir ele respirando) Mas neuroses a parte, a mãe precisa mesmo dormir e descansar sempre que possível, pois além de tudo, isso é importante para o boa produção de leite e importante para que nunca lhe falte paciência com o seu bebê, sim o mundo não é cor-de-rosa e você vai precisar de paciência para muita coisa. Então não se sinta culpada se muitas vezes não der conta de estar com a casa e a aparência impecável, por muitas vezes assim que meu filho dormia eu corria para lavar louças, lavar as roupinhas dele e limpar a casa, após uma noite completamente em claro, e logicamente assim que eu acabava o meu filho já estava acordado precisando dos meus cuidados, o que me fazia por vezes estar parecendo um zumbi no fim do dia.

Ouvi muitas vezes as pessoas me dizendo “ Assim que o bebê dormir, durma com ele”, mas a culpa de estar deixando a minha casa para trás me consumia. A dica é nem sempre que o bebê dormir durma com ele, mas faça isso em algumas sonecas dele, note quando ele dorme mais tempo para que você faça o mesmo, e nas sonecas mais leves estabeleça uma rotina por ex. soneca da manhã “ Lavar a louça e as roupinhas do bebê”, o seu bebê vai ter vários momentos de sonequinhas então em cada um deles faça uma pequena coisa por você ou pela sua casa, mas nunca esqueça de descansar em uma ou mais sonequinhas dele. Com o tempo você vai se acostumar com essa rotina e conhecer os horários dele, o que vai tornar mais fácil essa fase, e não se culpe pela sua casa não estar brilhando sempre, isso acontece com muitas mães que não tem empregada. Se seu marido for uma pessoa aberta, divida com ele algumas tarefas, vá notando o que ele tem mais habilidade para fazer, essa é uma fase nova para vocês dois, tanto no ambiente do lar como na vida como um todo.


*A participação do Pai: Como citado acima esse também é um momento dele, e ele vai ser um grande diferencial no pós parto, pois depois do momento de euforia em que a sua casa vai estar extremamente cheia, vai restar somente você, ele e o bebê. E pai sente tanto ou mais medo que a mãe, pois normalmente eles acham que as mães nascem com tudo pronto e eles não, quando na verdade ninguém nasce pronto. Você por muitas vezes vai estar cansada e não insista em concentrar tudo em si, deixe o pai do bebê participar, ele pode não fazer tudo igualzinho a você, mas isso não significa que ele esteja fazendo errado, e vai ser bom para o bebê lidar com maneiras diferentes de realizar as coisas. Então que mal há do pai trocar a fralda enquanto você se alimenta mais sossegada? Ou dele ir acalmar o bebê quando chora para que você termine seu banho? Não é fácil para a mãe não sair correndo em cada solicitação do bebê, mas entenda que se sobrecarregar só fará mal a você e o bebê precisa que você esteja bem, você não vai deixar de ser importante pra ele por que está delegando tarefas, você apenas está recarregando as baterias para cuidar cada vez melhor dele. 





16 comentários:

  • Andrea disse...

    Ah!.... queria que você tivesse escrito este post há 2 anos e 2 meses.... rs. Bárbaro seu post, Jack! BeijoBeijo. Andrea e Lara. http://coisas-da-lara.blogspot.com.br

  • Li disse...

    Muito bom o texto!!!
    A gente se prepara para ser mãe, mas na hora mesmo, vê que teorias são apenas teorias e que temos que encontrar nosso próprio caminho.
    Muito verdadeiro o texto!!!

    Parabéns!

    Beijos!

    Lívia.

  • Genis disse...

    Amiga querida, eu passei tanto, mas tanto mal na gravidez que pra mim o parto, a cirurgia e o pós cirúrgico foi o que menos me incomodou entende... rsrsrs
    Quanto ao leite, eu não tive tb logo que JM nasceu, mas não dei complemento e fomos tentando, difícil, mas deu tudo certo depois.
    Seu post está maravilhoso, parabéns. Irá ajudar muitas mamães, com certeza.
    Bjus da amiga Genis. ♥
    http://mamaegenis.blogspot.com.br/

  • O mundo da Dani disse...

    Jack vc é maraaaaaaaaa.... graças a deus nao senti nada no parto, nem o pós... tinha tanto medo de perder o davi na gravidez q eu queria q ele nascesse logo rsrsrs
    adoreiii o post
    bjaoooo

  • Paula Martinelli, a Mãe da Catarina. disse...

    Quanta verdade nessas linhas!! Parabéns pelo post!
    Eu fiquei um pouco traumatizada com visitas na maternidade. O que era para ser um momento família, tranquilo... não foi. Tive uma visita que ficou 4 horas! Isso mesmo, 4 horas!!! Eu estava cansada, com o leite empedrado (meu leite desceu rapidinho), com dor e a visita lá... falando! Gente... sério, ninguem merece isso.
    Regrinhas de etiqueta tbm valem nessa hora.
    Bjos
    minhamaternidade.blogspot.com

  • Gleysa Lopes disse...

    Adorei o post, mto verdadeiro tenho certeza que vai ajudar muitas mamães!!!
    Tb tive problemas com visitas, mta gente ao mesmo tempo, mta conversa e eu quero um pouquinho de paz!!! Mas graças a Deus que não senti nenhuma dor nem no parto nem no pós parto!

    Bjuss

    Gleysa
    demamaeursa.blogspot.com

  • Andreia Cristina disse...

    Texto muito verdadeiro.
    Meu parto também foi cesária e os meus pontos inflamaram. Foi muito dolorido.

    Os primeiros dias são difíceis mesmo. Além da recuperação, tem a insegurança, e uma grande responsabilidade.

    Dormir? Muito pouco.

    A amamentação foi ótima.

    Com as visitas não tive problemas.

    Adorei o post!

    Beijo grande!

  • Deh Gebran disse...

    Adorei o post!
    Muitas dicas preciosas para mamães que estão nascendo... E para nossos próximos, quem sabe??
    Na primeira semana o que mais "pegava" para mim era um sentimento misto (doido) de querer receber visitas e ao mesmo tempo não querer ver a cara de ninguém... E eu chorava muito, muito, para tudo... Há quem diga que não parei de chorar até hoje (o marido rsrsrs... )
    Super Beijo!

  • Brenda Kayene disse...

    Muito legal a postagem!!
    Há muitas verdades nela. Principalmente no quesito visitas. Meu quarto no hospital vivia cheio. No próximo, farei um manual para as visitas rsrsrsrs

    O post está cheio de informações, adorei mesmo!!!
    Acredito que o segredo da maternidade é você ouvir todos os conselhos, ler o máximo que puder, se informar.. e SEGUIR o que SEU CORAÇÃO MANDAR.
    Tem que ter muita calma nessa hora.. não é fácil, mas extremamente recompensador!!!

    Parabéns pela postagem!
    Beijo!!!


Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design