Você sabia que contar histórias colabora para o desenvolvimento linguístico da criança?

27 de outubro de 2012 32 comentários
Acredite ou não, mas ler fábulas e histórias para crianças, principalmente antes delas dormirem, é a melhor maneira de colaborar para que o seu desenvolvimento linguístico seja beneficiado de maneira mais rápida e produtiva.

Isto é o que mostra um estudo feito pelo pediatra Barry Zuckerman, da Boston University School of Medicine, publicado no Arquivos de Doenças Infantis (Archives of Disease in Childhood). Segundo a pesquisa, ler em voz alta para crianças com a partir dos dois anos de idade, aumenta o desenvolvimento da linguagem e fornece bagagem linguística beneficiando os anos escolares seguintes.  Além de ser um forte meio de troca emotiva.

Isto explica-se pelo fato do ser humano aprender a falar através da imitação dos sons. Neste caso, quando a mamãe ou papai lê uma história para seu filho, ele assimila os sons das palavras e, por serem palavras diferentes daquelas normalmente utilizadas pelos adultos, a criança aumenta a quantidade de combinações linguísticas na mente.

Histórias na educação infantil são bases fundamentais para a formação educacional, em especial no início da escolaridade. Mas para isso, deve ocorrer um planejamento, afinal, é um momento importante em que a criança vivenciará e absorverá coisas que identificam-se com ela. 

Algumas ações por parte dos pais, e até mesmo professores, são bem importantes para auxiliar este novo desenvolvimento: 

  • contar histórias diariamente, que podem ser repetidas dependendo do interesse da criança; 
  • procurar livros com poucos textos, linguagens simples, maior número de ilustrações (grandes e sugestivas); 
  • buscar histórias que ajudem a resolver um problema, por exemplo, se o filho recusa comer verduras, selecione um tema voltado para a importância dos alimentos de uma forma que a criança se identifique com o assunto. 
  • ao contar histórias, planejar o momento, inserindo aspectos fundamentais como local e buscar ambientes diferenciados para narrar a história; 
  • a posição da criança deve ser confortável; é fundamental que conheça a história para que você conte com suas próprias palavras com uma linguagem simples e tom moderado. 
  • deixar fluir a motivação no momento que estiver contanto a história para despertar a curiosidade de seu filho. 

Se ele ficar disperso, faça-o participar da historinha e questione para que ele possa interagir com você. 

JM participa de um projeto na escola que se chama Clube do Livro das mais belas histórias e todas às sextas feiras ele traz um livrinho para casa.
A dinâmica é a seguinte: As crianças trazem um livrinho na sexta feira, os responsáveis contam as histórias no final de semana e os livros são devolvidos na segunda e ficam num varal literário e são divulgados na hora da rodinha.
Eu gosto muito dessa proposta da escola. Sempre li historinhas pra JM e é um momento bem legal que passamos juntos.
Depois que eu leio as historinhas, ele pega o livrinho e conta pra mim. É engraçado que ele tenta me imitar e cuida muito bem dos livros!







Um super beijo!


Meus blogs:


*Fonte de pesquisa e informação: http://www.desenvolvimentodobebe.com.br
*Por Paula Ramos F. Dabus

32 comentários:

  • Juliana Reis disse...

    Concordo plenamente. Aqui leio para Dudu desde muito cedo e ele sempre reproduz a fala das historinhas, é muito lindo.
    Adorei a proposta da escola.
    Gostei muito da campanha do Itaú deste ano que diz: antes de ensinar a ler, é preciso ensinar a gostar de ler.
    Beijo,
    Ju

  • Rafaela Martins disse...

    Que maximo de post Genis eu tmb concordo e agora estou lendo pra biah e ela esta adorando!
    Bjooos Bom FDS pra todas as mamães em rede ♥ http://annabeatrizrafaela.blogspot.com.br/

  • Cida Kuntze disse...

    É verdade Genis!
    Aqui em casa desde bebê conto histórias pra Flávia e ela além de falar muito bem, lê melhor do que muuuuitos adultos...rsrs. Quando era pequena, eu cansava de ler as mesmas histórias, muitas compriiidas, daí tentava dar uma resumida, e ela logo dizia: "Mamães, você esqueceu de ler a parte tal" .... eu ria, pois ela decorava tudo só de me ouvir contar.
    Gostei muito de seu texto.
    Um ótimo final de semana.
    Beijos... Cida.

  • Renata Diniz disse...

    Genis! Esse assunto é muito importante. Fiquei feliz em ler esse artigo e certificar de que faço o bem investindo sempre em livros para a Laura. Conto história todas as noites para ela e da escola ela traz livros semanais também. Uma jóia não é? JM está muito estudioso, gostei de ver! Beijos!

  • Mamãe Nádia disse...

    Que lindo! Concordo plenamente com essa matéria, e tenho a constatação prática de que isso funciona por ser professora do 2º ano. Meus alunos que tem o hábito de ler livrinhos em casa são os que lêem e escrevem melhor. E os que estão fraquinhos na leitura são os que deixam os livros só guardados na mochila e nem abrem em casa, e também não tem nenhum livrinho em casa. Falta de estímulo dos pais, né?
    Bjos!

  • Salua Stankievicz disse...

    Lindo post Genis, eu leio para meu filho desde que ele estava em meu ventre, o resultado foi ótimo. Aos 8 meses ele já estava falando as primeiras palavras. Hoje lemos todos os dias, ele mesmo busca livro para nós leiamos pra ele.
    Beijos

  • Michele Camargo disse...

    Genis mto bom o post!! Comecei a ler para o Rafa com a coleção do Itaú que chegou essa semana, mto engraçado como ele presta atenção e sorri quando faço os sons que se passa na história rsrs Não tenho o habito de ler, e não quero que ele tenha esse mau costume!!
    bjss

    http://historiadeumamae.blogspot.com.br/

  • Mamãe Roberta Soares disse...

    Adorei o post Genis. Eu leio com frequencia pro Matheus. Hj passamos na Feira do Livro e comprei livros novos. Ele adora. Eu trabalhei em creches e sem usei da técnica de criar histórias sobre algo que tivesse acontecido e tivesse que melhorar. Na última lembro que a Aline de dois anos vivia arrancando os cabelos da Fernanda tb de dois anos. E não adiantava conversar. Ai criei uma história usando bonecos, q a menina perdeu os amigos porque machucava eles, ai no final ela não fazia mais e todos voltaram a ser amigos dela. Deixei depois alguns contarem do jeito deles. E a Aline contou qs igual a minha história e percebi melhoras no comportamento. Bjs
    http://matheusmeucoracao.blogspot.com.br/

  • Genis Borges disse...

    Nossa Roberta, que ótima a sua ideia!
    O JM trouxe um livro da escolinha que falava sobre o desfralde, super legal!
    As professoras disseram que isso estava ajudando demais as cças!
    Bjus mil!

  • Gracita disse...

    Olá Genis
    Contar história pra crianças além se der prazeroso propicia o desenvolvimento da oralidade. Um excelente texto. E esse gatinho lindo é seu filho? Um príncipe liiiindo! Um ótimo domingo pra você. Beijinhos
    Gracita

  • Andrea disse...

    Ótima essa proposta da escola do JM, né Genis? Livros, participação... e de quebra, valores. Adorei. Parabéns pela sua presença nas atividades dele. Quando a Lara for a escola, tenho muitas coisas a aprender com você! BeijoBeijo. Andrea e Lara. http://coisas-da-lara.blogspot.com.br

  • Carol Meoli disse...

    Eu sempre que possível conto histórinhas para a Babi, até quando ela fica interessada... kkkkk
    Mas é escutar, "ERA UMA VEZ..." A bichinha fica de "zóio duro" em mim!!!

    Beijos

Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design