A importância da amamentação nas primeiras horas de vida

15 de agosto de 2013 7 comentários
Olá meninas, hoje tenho o prazer de estrear nessa rede tão especial. Quero agradecer a oportunidade de integrar à essa equipe que é uma família.

Quero compartilhar com vocês uma situação que aconteceu comigo e foi muito marcante pois até hoje fico refletindo nos malefícios que isso causou na vida do meu reizinho.

Quando fui dar a luz ao Arthur, optei pela cesariana, não me orgulho nada dessa decisão, mas estava passando por um momento muito complicado na minha vida: a falta do plano de saúde e tive medo de ficar jogada as traças nos hospitais do Sus dos quais aqui eu conheço bem a realidade e o tratamento, por ser enfermeira

Durante a minha cesariana, logo após o momento mágico de ouvir o chorinho do meu filho e vê-lo pela primeira vez, dei um beijinho nele e logo o levaram para os primeiros atendimentos, pesar, medir, testes motores, identificar, clampear o umbigo, etc.

Até aqui tudo bem, achei que assim que estive na recuperação da anestesia eles iriam trazê-lo até mim para que eu pudesse amamentar e deixá-lo em contato com minha pele e meu cheiro para diminuir o stress do nascimento. Ledo engano meu... após a retirada do bebê eu relatei a anestesista uma dor na região dos ombros e ela realizou uma sedação. Meu filho nasceu às 10:47, quando acordei já eram 13:00 e eu já estava no quarto. 

O Arthur chegou no quarto apenas às 14:00 e eu ainda fiquei dopada, sonolenta, sem forças nem para pedir que tirassem ele do bercinho e colocassem do meu lado. Resumindo, só consegui colocar ele no seio às 20:00 e sozinha, sem orientação de ninguém, se eu não tivesse experiência por mim mesma poderia bem ter deixado ele a noite inteira sem mamar porque ele também estava sonolento e não chorava.

Hoje existem dezenas de estudos que comprovam uma gama de benefícios da amamentação nas primeiras horas de vida e do contato com a mãe logo após o nascimento.

Estão bem demonstrados efeitos positivos de uma primeira mamada com sucesso:
  • Criação de confiança materna na capacidade de amamentar;
  • O bebê recebe os benefícios imunológicos do colostro;
  • São estimulados o funcionamento intestinal e a digestão do bebê;
  • Existe menor número de problemas de amamentação posteriormente;
  • A ligação e o vinculo mãe-filho são potenciados.

Como não tivemos esse momento de mamada precoce o Arthur não ativou a motilidade de seu intestino e não conseguiu eliminar todo o mecônio restante o que resultou em uma icterícia tardia que levou trinta dias para ser curada. 

Agora eu já estou escolada e se um dia tiver outro filho irei procurar profissionais mais humanizados que respeitem o direito do bebê de nascer em um ambiente propício e com menos stress possível. 

Se você tiver interesse em se aprofundar neste assunto e conhecer o parto Laboyer vale a pena...


Um grande beijo

Camilla Penno


7 comentários:

  • Jamilly Mãe do Lucas Davi disse...

    Eu tive cesárea por decisão própria e numa próxima gestação também farei. Meu parto foi maravilhosos e rápido, acompanhei com os olhos todo o processo de pesar e medir. No momento de ir ao berçário, meu esposo o acompanhou e quando cheguei no apartamento ele já estava lá sendo bajulado pela a avó. Acredito que com menos de duas horas ele já estava no peito tentando mamar, as enfermeiras estavam sempre ali várias vezes tentando fazer com que ele pegasse o seio. A tarde não resisti ao sono e dormir com ele do meu lado e minha mãe sentada perto. Então minha experiência foi ótima tanto do parto quanto da amamentação nas primeiras horas.

    Ótima postagem,muito bom as futuras mamães saberem da importância da amamentação nas primeiras horas.

    beijos

  • Genis Borges disse...

    Oi Camilla, eu fui muito abençoada com minha cesária, mas tinha muito medo, pq ouvia muitas coisas ruins a respeito.
    Mas, também já ouvi muitas coisas ruins do parto normal.
    Enfim, sempre tem alguém pra falar mal e bem de alguma coisa.
    Confesso que nunca passou em minha cabeça em ter parto normal, pois como vc falou, minha irmã teve pelo SUS e sofreu horrores que gerou consequências negativas psicológicas no futuro.
    Hoje, ela está bem, graças a Deus.
    Eu sei que cada um é um e que as experiências podem ser ruins pra uns e boas pra outros, mas ainda fico com a cesária, para MIM.
    Bju grande, Genis

  • CHRIStIANE RAMOS disse...

    Esse momento é muito especial, eu não tive leite logo no primeiro dia, daí, meus filhos precisaram tomar nan (20 ml), depois de 2 dias tudo ficou normal e eles mamaram até os 7 meses exclusivamente.
    Sinto falta até hoje !
    http://poaxadrez.blogspot.com.br

  • Gleysa Lopes disse...

    Nossa Camilla eu não sabia dos benefícios da amamentação nas primeiras horas, eu tb nao amamaentei logo em seguida pq Heitor estava dormindo e só acordou a noite, meu parto foi pela manha e cesaria tb!
    Adorei o post super informativo!!

    Bjs
    Gleysa
    www.demamaeursa.com

  • Carol Meoli disse...

    Eu já havia lido quando estava gestante sobre como é importante a 1ª mamada nas primeiras horas de vida do bebê.
    Mas infelizmente, quem conhece minha história sabe, que não foi possível "dessa vez" pra mim.
    Mas quem sabe numa próxima gestação?!

    Beijo

  • Cristiane Lima disse...

    Oi Camilla, assim como vc tb tive meu bebê por cesárea, mas não demorei para amamentá-lo, acredito que se fosse mais divulgado e informado essa prática seria colocado em prática.
    Vou seguir sua indicação e ler mais sobre o parto indicado, bjss

Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design