Na “minha época”, criança brincava na rua!

1 de novembro de 2012 52 comentários
Vocês já notaram que as brincadeiras de antigamente sumiram? Aliás, é difícil ver uma criança brincando na rua, interagindo com outras crianças, aprendendo a se socializar.

Hoje, vemos crianças, mini adultos, que brincam sim, mas com seus computadores, celulares e tablets. Socialização? Claro que sim! Para que servem as redes sociais?! Além disso, os jogos de computador são todos on line! Quer mais “social” que isso?

Na “minha época” não era assim. As brincadeiras aconteciam na rua, na praça, no quintal... aconteciam ao ar livre. As meninas brincavam de pula corda, passa anel, amarelinha, enquanto os meninos, brincavam de empinar pipa, bolinha de gude, pião! Claro, todo mundo podia brincar de tudo. Afinal, na brincadeira não tem distinção. Existia também as brincadeiras em grupo, como cabo de guerra, esconde esconde, queimada... infinitas possibilidades e muita imaginação.

Imaginação? As crianças de hoje não aproveitam esse “dom” infantil. No vídeo game esta tudo pronto, não tem imaginação. É aquilo e ponto.

"Antigamente, os pequenos se divertiam em espaços públicos e em convivência com várias crianças. Mas com a modificação da sociedade esses espaços desapareceram e elas passaram a ficar mais com os brinquedos do que com os amiguinhos", explica a professora Maria Ângela Barbato Carneiro, coordenadora do Núcleo de Cultura, Estudos e Pesquisas do Brincar e da Educação Infantil da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP).

A brincadeira de rua, além de estimular a socialização, ajuda a desenvolver a coordenação motora, o equilíbrio, o respeito às regras e o lado intelectual. Segue algumas brincadeiras que eram muito famosas e queridas, na “minha época”.
Imagem retirada daqui.

* Amarelinha
O que é: brincadeira em que as crianças devem pular casinhas desenhadas no chão.
Acessórios: uma pedrinha ou saquinho de areia.
Como brincar: desenhe a amarelinha no chão, indo do número 1 ao 10. As crianças devem decidir quem vai começar. O escolhido joga a pedra - ou o saquinho de areia - no número 1. A seguir pula casa por casa com um pé só até chegar ao número 10. Na volta repete o trajeto, só que pegando a pedrinha. O mesmo deve ser repetido até chegar a última casa. Perde a vez quem pisar na casa em que está a pedra, pisar na risca, não pegar a pedra ou errar a casinha na hora de jogar a pedrinha.
Benefícios: desenvolvimento do raciocínio, coordenação motora, atenção, equilíbrio, noção de espaço e tempo, conhecimento dos números e habilidade para lidar com regras e limites.

* Cabo de Guerra
O que é: disputa em que crianças puxam uma corda.
Acessórios: uma corda e um lenço ou pedaço de tecido.
Como brincar: amarre o lenço no meio da corda e divida as crianças em dois grupos. Cada um deve ficar em um dos lados da corda e puxar com muita força. Ganha quem conseguir deslocar mais o lenço de lugar.
Benefícios: desenvolvimento do espírito de equipe, força muscular, concentração e habilidade para lidar com disputa.

* Cabra-cega
O que é: jogo em que uma criança com os olhos vendados deve achar as outras.
Acessórios: uma venda para olhos, ou uma tira de tecido de cor escura, ou um lenço.
Como brincar: depois de determinado o espaço onde será feita a brincadeira, as crianças devem sortear quem será a cabra-cega. Em seguida, use o tecido para vendar os olhos dela. Rodem a cabra e saiam correndo. A cabra deve agarrar alguém e adivinhar quem é a criança. Se acertar, a criança escolhida será a próxima cabra-cega. Se errar, o jogo continua.
Benefícios: desenvolvimento da coordenação motora, atenção e sentido de localização, percepção e discriminação tátil e auditiva.

* Cinco Marias
O que é: brincadeira em que as crianças usam saquinhos de arroz para fazer malabarismo.
Acessórios: no mínimo três saquinhos de pano com arroz ou pedrinhas dentro.
Como brincar: a criança joga os saquinhos para o alto. Eles devem ficar onde caírem. O jogador pega um saquinho e atira para o alto. Antes que caia, ele deve pegar outro saquinho, e jogá-lo para o alto. Com os dois na mão, agora é hora de jogá-los e pegar o terceiro saquinho que deve ir para o ar antes de os outros caírem. Quem acertar tudo ganha um ponto. Quem errar passa a vez para o amigo.
Benefícios: desenvolvimento da coordenação motora, atenção, concentração, agilidade, mira e distância.

* Barra-manteiga
O que é: brincadeira em que as crianças devem correr atrás do adversário para aumentar sua equipe.
Acessórios: não há.
Como brincar: as crianças devem ser divididas em dois grupos e alinhadas frente a frente numa distância de, no mínimo, cinco metros. O grupo que começar o jogo escolhe um membro para se dirigir até a outra equipe. As crianças devem ficar com as mãos estendidas e as palmas para cima. O adversário, então, canta: "Barra-manteiga na fuça da nega. Minha mãe bateu nessa daqui". E bate fortemente na mão de uma delas. Nesse momento, corre em direção à sua fileira enquanto o que levou a palmada tenta alcançá-la. Se chegar ao seu grupo sem ser tocada, a criança está salva. Se for pega, deve passar para o outro grupo. A brincadeira é reiniciada com a criança que levou a palmada. Ganha o grupo que ficar com o maior número de crianças.
Benefícios: desenvolvimento da força, equilíbrio, agilidade, concentração, coordenação motora, força muscular, espírito de equipe e habilidade para lidar com regras e disputa.

* Pula-sela
O que é: também conhecida como pula-mula, nessa brincadeira as crianças devem saltar sobre um colega fazendo poses diferentes.
Acessórios: não há.
Como brincar: escolham quem será a mãe da mula. Ela, por sua vez, deve escolher quem será a mula. O escolhido deve abaixar as costas, apoiando com força as mãos nos joelhos. Se as crianças forem muito pequenas, a mula pode ficar ajoelhada de quatro no chão. A mãe salta sobre a mula, apoiando as mãos nas costas do amigo. Essa pessoa pode determinar como será o salto e os outros imitam o que ela faz. Se gritar bife, significa que as mãos devem ficar abertas. Batatinha é para todos pularem com a mão fechada. Garra de gavião, a ponta dos dedos finca sobre a sela. Vale também inventar novas posições. Quem errar é a próxima mula. E quem era a mula será a mãe.
Benefícios: desenvolvimento do equilíbrio, coordenação motora, força muscular, agilidade e habilidade para lidar com regras.

* Corre-cutia
O que é: também conhecida como lenço-atrás, nessa brincadeira as crianças devem tentar pegar o amigo correndo em volta de uma roda.
Acessório: um lenço.
Como brincar: escolha quem ficará com o lenço. As demais crianças devem ficar sentadas no chão em forma de roda e com os olhos fechados. Quem estiver com o lenço anda em volta da roda (pelas costas dos pequenos) enquanto todos cantam: "Corre cutia, na casa da tia, corre cipó, na casa da avó. Lencinho na mão, caiu no chão, moço bonito, do meu coração. Posso jogar? Pode!! Ninguém vai olhar? Não!". Nesse momento, o lencinho é colocado atrás de uma pessoa da roda. Essa criança tem que pegá-lo e correr atrás de quem o colocou lá antes que o adversário sente no seu lugar. Se agarrá-lo, a criança vai para o meio da roda.
Benefícios: desenvolvimento da coordenação motora, equilíbrio, direção, atenção, concentração, esquema corporal, agilidade e força muscular.

* Elefante colorido
O que é: brincadeira em que as crianças devem identificar cores em um ambiente.
Acessórios: não há.
Como brincar: crianças devem escolher quem será o mestre da brincadeira. Ele, então, grita: "Elefante colorido". E as outras perguntam: "De que cor?". O mestre escolhe uma cor e todas as crianças deverão tocar algum objeto na tonalidade pedida. Se não achar, tem que pagar uma prenda. Pode ser dançar, cantar, contar uma piada, correr, assim por diante.
Benefícios: desenvolvimento da concentração, atenção, coordenação motora, conhecimento das cores, discriminação visual e auditiva.
---------------------------------------------------------

“Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo. Se é triste ver meninos sem escola, mas triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem.” Carlos Drummond de Andrade

“É muito importante fazer esse resgate porque as crianças estão seduzidas pela tecnologia de fácil acesso, então essas brincadeiras movimentam o corpo, propiciam a expressão corporal da criança e o desenvolvimento psicomotor" Patrícia Ribeiro, professora.

Após esse momento nostálgico... me conta, qual era a sua brincadeira preferida?

Referências: Fórum GMV; Tricae; G1




52 comentários:

  • Renata Diniz disse...

    Paula! Eu brinquei muito na rua também. Apesar de sempre ter sido, desde criança, mais reservada e de pouca turma, aproveitei esse tempo de brincadeiras na rua! Hoje, confesso que até dentro do condomínio onde moro, fico de olho na Laura. Pois não é que outro dia uma criança empurrou a outra dentro do chafariz? Um perigo isso. Adorei relembrar a minha infância aqui e relembrar é beneficiar os nossos filhos com essas brincadeiras que você cita, ainda que não sejam brincadas na rua! Beijos!

  • Juliana Reis disse...

    Amiga, amei o seu post! Parabéns!
    Também brinquei na rua (minha família é do interior) e aproveitei muito... conheço a maioria das brincadeiras que você falou, mas infelizmente hoje tá tudo muito diferente e nossos filhos não podem ter esta liberdade. Mas, em casa dá pra improvisar alguma coisa, né?
    O importante é não deixar a essência da infância se perder e a tecnologia roubar estes momentos preciosos.
    Beijo,
    Ju

  • Jackie disse...

    Adorei o post, eu não era de brincar muito na rua, meus pais não gostavam, mas eu morava em uma casa muito grande. Então podia fazer tudo isso no meu quintal com as amigas, também no patio do colégio faziamos tudo isso. Hoje em dia, as escolas querer que os alunos fiquem imóveis se possivel no intervalo hahauhahaahua. Além de tudo eu acho que o video game e os eletrônicos ajudam muito na obesidade infantil, por que antigamente, nós corriamos, pulavamos, tudo na brincadeira, hoje eles exercitam os dedos e só .

    bjusssssssssssss

  • Andrea disse...

    Vou falar que continuo a mesma Andrea criança, apenas meu corpo cresceu, e ainda assim, só um tiquinho, rs. Brinquei muito enquanto criança, morei no interior de SP, então tudo era mais simples, mais permitido. Hoje, brinco com a Lara. Brinco mesmo, sento no chão, me sujo igual a ela, sento na balança ao lado..... e fiz uma amarelinha no quarto dela, no chão e com fita crepe, porquê ADORO! kkkkk.... vivemos lá, as 2, brincando de amarelinha... Adoro uma frase publicada na Revista Crescer: "Ser mãe é reviver a infância todos os dias". É isso que acredito! E faço. Post precioso sobre o que nunca deveríamos perder: a criança em nós! Parabéns, Paula!

  • Vivi * Isaac disse...

    Amei o post... A minha infância foi sempre repletas de brincadeiras... Corri, pulei, dancei, brinquei... Quero passar isso para o Isaac, a importância do brincar. Bjs
    Vivi e Isaac

  • Deborah Gebran disse...

    Que delícia ver essas brincadeiras e lembrar da infância. Procuro estimular Marinah com essas brincadeiras do nosso tempo... E ela adora brincar de passa anel... Muito fofa brincando de Ciranda...
    Parabéns pelo post Paula!
    Bjo

  • Ivna Pinna disse...

    É bem assim mesmo! As coisas já estão todas prontas, só esperando a criança ficarem alucinadas dias e dias em jogos prontos!! Imaginação pra que???!!

    Gostei muito desse post. E eu brinquei de quase todas essas brincadeiras que vc citou ai em cima! hehe

    beijos

  • Mamãe Roberta Soares disse...

    Algumas eu não conhecia. Eu brinquei na rua até 18 anos! A gente jogava taco, pulava corda, jogava vôlei, brincava de pegar, bons tempos!!!! Eu adorava pular amareilinha e na minha tinha céu e inferno kkkkk. Por ser alta e de pernas compridas sempre fui bem!! Moramos em apto, meu sonho é ter um pátio pro Matheus aproveitar estas brincadeiras antigas. Acredito que as brincadeiras dentro de casa deixa os pais mais seguros, era diferente naquela época. Adorei o post. Bjs.
    http://matheusmeucoracao.blogspot.com.br/

  • Michele Camargo disse...

    Aii gente leio esses textos e me dá uma crise de Nostalgia..rsr que tempo bom!!!
    Também brinquei de qse todas essas brincadeiras e q mais gostava era de pula cela...
    Parabéns pelo post Paula!!

    http://historiadeumamae.blogspot.com.br/

  • Cristiane disse...

    Olha nem me fala, pois eu estava pensando sobre isto não foi?? Fico horrorizada quando vejo em restaurantes famílias inteiras conectadas, cada um no seu celular e cadê a interação num momento de sair juntos pra comer??? Brincar na rua??? Aqui perto de casa raro... Precisamos estar atentas!!! Cris

  • Anne Lieri disse...

    Muito legal essa postagem:primeiro por mostrar o valor das brincadeiras e depois pelas excelentes sugestões!Precisamos ensinar a criançada de hoje a brincar!bjs e parabéns pelo texto!

  • Andreia Cristina disse...

    É verdade Paula, os tempos mudaram. Eu já brinquei muito na rua, de amarelinha, pega pega, rouba bandeira. Era uma delícia!

    Concordo que a rua hoje não é segura. Mas tem brincadeira que dá pra fazer em casa mesmo!

    Bj!

  • Shairane / Estou Crescendo disse...

    Eu tbm me criei brincando na rua, suando muito correndo mais ainda.
    Hoje em dia até estranho quando vejo alguma criança brincando assim pq na era da internet eles nem saem para rua.

    http://estou-crescendo.blogspot.com.br

  • Cristiane Lima disse...

    Eu também brincava na rua... oh coisa boa, chorava abesa quando minha mãe mandava entrar kkkkkk
    Ai q delícia ler este post pq nos remete a nossa infância.
    Agora eu tb não conhecia algumas brincadeiras... tb tem aquelas de bater com a mão e cantar: o trem maluco...
    Bom a minha preferida era o elástico, bjss
    http://cphilene.wordpress.com/

  • Nina disse...

    Nossa... eu brincava MUITO na rua... elefantinho colorido, pular corda, pega-pega, "polícia e ladrão", pular elástico (ai que delícia) e até futebol eu joguei no time do condomínio...
    Desejo que meu filho possa brincar assim... muito do que as crianças são hoje é reflexo dessa industrialização da brincadeira. Bulling... na minha época não existia isso... hoje em dia TUDO É BULLING. A crianças está "crítica" demais, mais chorona, mais abusada. Isso tudo por se sentir um "mini adulto". Não faz bem, não é saudável.
    "que saudade da minha infância querida que os anos não trazem mais" rsrs.
    Eu vou tentar o que puder para que a informatização não venha precocemente na vida dele... ele tem primos e mais amiguinhos da idade dele (filhos de amigos próximos) que vão crescer juntos, a gente pode tentar fazer diferente.

    Beijão
    http://www.maternizando.blogspot.com

  • Gleysa Lopes disse...

    Nossa este post me fez relembrar uma época boa demais!! Naquela época a gente ia pra rua e tinha hora pra voltar, mas não existia celular, fico pensando como as mamães ficavam né, hj em dia essas brincadeiras só dariam certo se for no quintal de casa, ou no condomínio, ou num parque, mas tudo vigiando por um adulto, infelizmente os tempos são outros!!

    Parabéns pelo lindo post!

    Bjs

    Gleysa

  • Adriana Ranzi Curioni disse...

    Paula post super bem elaborado e lembrado!! A gente acaba esquecendo disso e nós fomos tão felizes!! Temos que passar isso ao nossos filhos mesmo que a concorrência (celular, tv, tablet) sejam maiores! Elefante colorido!!!! Como eu brincava desse!!! Ahhh a gente não tinha hora para entrar, brincava, corria, esconde -esconde! Nossa!! Saudades!! Além do mais se machucava e passava merthiolate que ardia! Hoje nem isso mais!! hehehe Beijos!!!!
    Mamães em rede é show!!
    www.minhamaricotamaricotinha.com

  • Reflexões de Mamãe disse...

    Graças a Deus moro num condomínio que tem uma grande área livre de carros e preparada para as crianças... O meu filho não se envolve muito (ele é autista, acaba apenas assistindo as crianças brincarem), mas é bom demais ouvir criança correndo, brincando de pique, de escorregar na grama, ver mães desesperada: "Vc vai cair daí!"... E, aí, tanto as mães como os filhos continuam conectados da melhor forma possível: pessoalmente!!!

  • Mi Gobbato disse...

    na minha época tbm brincavamos na rua, mas infelizmente como tudo muda, isso não podia ser diferente, e principalmente a segurança, antes era mais seguro, por isso muitas crianças hj nem sabem o que é brincar na rua, mas aqui sempre que posso levo o Gui pra brincar na pracinha que tem perto de casa, e nos fds que estamos sempre na minha sogra e lá tem criança (coisa que na minha rua não tem mais) levo a bicicleta dele pra ele andar lá, fazemos bolinha de sabão, amarelinha, não é como antigamente (nossa até me senti velha agora haha, mas tento fazer algumas coisas com ele que eu gostava) !!!

    beijos Mi Gobbato
    http://espacodasmamaes.blogspot.com.br/

  • Paula Martinelli, a Mãe da Catarina. disse...

    Eu também não consigo relaxar, Re! Não tiro o olho da Catarina um minuto!!! Parece que basta agente piscar para acontecer algum acidente! Outro dia, Catarina prendeu o dedinho na dobradiça do armário... foi feio, sangrou bastante... detalhe, eu estava do lado, poucos centímetros de distancia!
    Beijos,
    Paula Martinelli
    www.minhamaternidade.com

  • Paula Martinelli, a Mãe da Catarina. disse...

    É isso mesmo, Ju! Não sou contra a tecnologia, muito pelo contrário. Adoro computador, vídeo game e tudo mais... mas criança tem que mexer o corpo! Tem que suar um pouquinho!!! Além disso, a maioria dessas brincadeiras é feita em grupo! Tudo de bom!!!
    Beijos,
    Paula Martinelli
    www.minhamaternidade.com

  • Paula Martinelli, a Mãe da Catarina. disse...

    Eu já vi dois adolescentes sentados na praça de alimentação de um shopping jogando o mesmo jogo! Eles estavam jogando juntos, conectados!!! Agora, me fala, vc sai para passear com o seu amigo e fica sentado jogando on line?! É o fim!Beijos,
    Paula Martinelli
    www.minhamaternidade.com

  • Carol Meoli disse...

    Amiga, sinto muita falta dessa época e as brincadeiras eram sim muito mais divertidas do que as de hoje. Eu brincava na rua de mãe da rua, elefante colorido, queimada, volei, andava de bicicleta e patins. Hoje as crianças são mais avançadas, já nascem com um chip super avançado e cheio de tecnologia... hehe!!!
    Mas acho que nós mães temos que ensinar nossos filhos a brincar não apenas nos videogames,computadores e afins. Tem muitos brinquedos educativos, sem pilha, sem bateria.
    Vários jogos legais, de tabuleiro e tal...

    Beijos

  • Nádyla Vieira disse...

    Eu tive infancia... rsrsr todas as brincadeiras daquela época poderiam ser resgatadas hoje. As crianças deveriam deixar de lado os jogos eletronicos, computadores entre outros. Mesmo aqui em uma cidade do interior não vejo as criaças correndo como eu fazia. Tento fazer minha filhota brincar das oisas que eu brincava. Aquele tempo sim as crianças eram mais felizes.

  • José Mauricio Barros Lima J MAURICIO disse...

    Sinto muito a franqueza, mais a culpa disso tudo é dos pais, vi muito minha cunhada dar para seu filho de dois anos seu celular, para jogar ensinou ele a tirar fotos, e eu sempre falava para ela que celular não era brinquedo se ele deixasse cair a culpa não seria dele, pouco tempo depois compraram um vídeo game e coisa que no tempo do mais velho eles não tiveram condições de dar e aina por cima falaram que o vídeo game era do mais novo, como pode um tipo de atitude dessas ser admissível, nesse caso na minha opinião o brinquedo seria do mais velho e procurava educar o mais novo da maneira do mais velho, contando estorinhas.quando não existia o jogo em casa o mais velho marcava hora nas locadoras. Antes de comprar o jogo teria logo uma conversa com o mais velho impondo as condições de comprar o jogo, uma delas seria não diminuir as notas na escola caso isso acontecesse o brinquedo seria guardado até a situação mudar, o mais novo só brincaria com o consentimento do mais velho. E claro que acompanho a evolução dos brinquedos e brincadeiras meu neto tem brinquedos caros mais não deixo de confeccionar alguns com reciclagens e ele brinca com a mesma alegria, minha netinha tem uma boneca de borracha muito linda que ganhou no dia das crianças. Agora pergunto o que uma criança de seis meses entende de brinquedo? o que ela faz com qualquer coisa que colocarem nas mão dela? Nada! tudo que agente entrega a uma criança de seis meses ela vai colocar na boca, eu peguei uma garrafa pet coloquei uma pequena porão de arroz e disse para mães dela "veja um brinquedo de pobre", não é descriminação não pobre é rico de imaginação. Eu cantava e usava a garrafa como um ganza depois de cantar várias músicas entreguei para a minha netinha e ela balançou ai o meu neto de 8 anos disse que dava pra fazer uma banda eu tocaria o pandeiro(estou aprendendo) e a irmã dele o ganza feito de garrafa pet(Água) mineral, e pra minha surpresa pediu pra fazer uma pra ele também.!
    Quando vou para casa da minha irmã em Petrolina-Pe sempre invento brinquedos feitos com material reciclável ou alguns que pego na internet, os meus preferidos são os quebra-cabeças, quando apareço por lá até os adultos perguntam pelas novidades, Um abraço e fiquem com deus.

  • Marcos Del Pietro disse...

    Sem dúvidas a minha brincadeira preferida era cabo-de-guerra! Em todos os lugares que eu ia, tentava juntar uma turma e praticar uma bela disputa. Elefante colorido também marcou muito minha infância, já que todo mundo da minha rua adorava rs. Era uma briga para decidir a próxima brincadeira, mas na maioria das vezes o cabo de guerra ganhava.

    Hoje estou com dois filhos e graças a Deus eles ainda brincam dessas brincadeiras mais antigas. O mais legal é que eles adoram! Antes eu achava que eles só tinham que brincar desses jogos mais tradicionais e fui ensinando, até que eles pegaram o gosto. Depois de um tempo vi que existem vários jogos infantis online que podem acrescentar muito na vida das crianças (inclusive coloquei o link que me fez enxergar isso, se quiser dar uma olhada). Existem vários modelos educativos que trazem muitos benefícios na vida da molecada.

    Hoje eu procuro balancear os games com as brincadeiras mais tradicionais na vida dos meus filhos. Acho que ambos são bem importantes pro crescimento deles.

    Muito obrigado pelo post e pela nostalgia. Adorei!
    Abraços, Marcos.

Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design