Comida x Emoções.

14 de outubro de 2013 10 comentários


Se há uma das coisas que eu mais fazia era relacionar minhas emoções com a comida, e logicamente a única coisa que eu conseguia era engordar.

Temos que ter em mente que a única função real da alimentação é nutrir o nosso corpo e não às nossas emoções. De nada vai adiantar comer 1 pote de sorvete, seu corpo não terá bons nutrientes e muito menos seu problema será resolvido, e de quebra você leva alguns quilos de brinde arrumando outro problema a resolver.



Essa resolução ajudou e muito no meu processo de emagrecimento, parei de judiar do meu corpo a cada problema, sim judiar, afinal era ele quem sofria mais. Os problemas precisam de solução e não de comida. Por isso, por mais chateada ou depressiva que você esteja, nada de pensar “ Hoje eu to triste, mereço pelo menos um alívio de comer o que eu quero”, não Hoje você está triste e merece sinceramente ser feliz, merece se olhar o gostar do que vê, e maltratar o seu corpo só vai te deixar ainda mais triste.

Mas como pra tudo há solução vamos começar com o mais básico, a sensação de tristeza, não sei quais são os problemas que te atingem e nem como resolvê-los, para isso você tem que fazer uma séria reflexão sobre as possibilidades de solucionar diretamente cada problema que surgir. Mas com a sensação de desânimo e tristeza eu sei o que fazer, “exercícios”. Ah por favor, não faça cara de chocada e nem nada disso, todo mundo sabe que os exercícios liberam no cérebro substâncias que atuam regulando o humor. Então mesmo que você esteja desanimada, saia para caminhar, correr ou fazer qualquer exercício que você goste, vai também te ajudar a pensar na solução do seu problema muito mais do que comer, o corpo se cansa mas o cérebro descansa, relaxa e fica mais fácil pensar com clareza.

*Estudos indicam que o exercício pode ser tão efetivo quanto os antidepressivos no tratamento da depressão. O exercício aeróbio regular por 30 minutos, praticado pelo menos três vezes por semana, pode ajudar pessoas com depressão moderada, que relatam melhora no humor. Mesmo curtos períodos de exercício, como uma breve caminhada, também podem desencadear um efeito positivo imediato. (Fonte: www.uol.com.br).

Mas existe também a tal euforia, a tal felicidade, existem pessoas que comem por que estão felizes também, mas sinceramente acho que quando você está feliz é muito mais prazeroso dividir essa alegria com os amigos, sair contando pra todo mundo, ou se você for mais reservada, aproveitar o que te causou essa felicidade, nada de comer por que está feliz, pois sabe aquele ditado “Felicidade de pobre dura pouco”? exatamente, pobre de ideias, a sua felicidade vai durar até você subir na balança e ver o estrago que fez ou quando for vestir aquela roupa linda pra sair pra comemorar e ela não couber, então voltamos ao início “A alimentação tem a função de nutrir seu corpo” e não as suas emoções.

É claro que existem alimentos deliciosos que afetam o nosso cérebro, como o amado chocolate, e ele não deve ser encarado como vilão, aliás ele é muito bom pra ser um vilão não é mesmo. O vilão da sua dieta é a falta de moderação, eu não passo vontade, mas tem que ser aquela vontade muito forte pra me fazer comer uma besteira e quando eu como aprendi que temos que saber o quanto consumir, não só em questão de calorias, mas em questão de satisfação, aprendi a matar a vontade apenas e não morrer de tanto comer. Mais o excesso vem da compulsão, vem do sentimento que depositamos naquele ato muito mais do que na pura e simples fome ou vontade de comer.


Bom meninas, é isso, espero ter ajudado, esse é o meu ponto vista e me ajuda muito na hora de comer, pois hoje como com consciência do que estou comendo, se realmente quero e preciso comer. Como por que é bom, prazeroso e meu corpo precisa, mas não como mais para ser feliz, pois quando larguei esse pensamento percebi que sou feliz com muitas outras coisas, e quando estou feliz aprendi que compartilhar e aproveitar esse momento me faz mais feliz ainda. Até a próxima!



10 comentários:

  • Gleysa Lopes disse...

    Nossa! Esse post foi feito para mim!
    Tenho que aprender a comer com moderação! E não da forma que estou fazendo hj em dia! As vezes como só por comer.

    Beijos
    Gleysa

  • Mãe da Loly disse...

    Olá!! Adorei o texto!!!
    “A alimentação tem a função de nutrir seu corpo e não as suas emoções". Isso vai virar um mantra na minha vida!!!! rsrsrs
    Beijos,
    Dani www.maedaloly.blogspot.com.br

  • Genis Borges disse...

    Amiga, vc ligou pra cá, conversou com meu marido, ele te contou TUDO sobre mim e vc fez este post, né? rsrsrs
    Perfeito!
    Já disse, tô me inspirando em vc!
    Bjussssssssssss

  • ♥ Nanda ♥ disse...

    amei
    isso mesmo a nossa moderação é que nos mata
    e comparar os nossos sentimentos com comida
    que erro básicos e mais comuns

    lindo dia bjs

    http://sermamaepelasegundavez.blogspot.com.br/

  • Divagações da Mamãe Tê disse...

    Muito bom Jackie adorei e assino embaixo de tudo que escreveu. Hipócritas seríamos se disséssemos que a aparência descuidada (por nós mesmas) não nos provoca depressão. Provoca sim.
    Acho que tudo é esforço na vida. Seja para emagrecer, conseguir um emprego, mudar o interior quando for preciso. Aliás, tudo vem de dentro pra ter resultados externos. Não só do corpo, mas para a vida...

    Emagrecer nem é só estética, é necessidade. O comer muito sem medida e sem pensar, pode desenvolver sérios riscos de saúde.

    Magreza também não é sinal de saúde. Pode ser sinal de desnutrição, de não comer certas coisas que fazem bem ao organismo.

    Então, Jackie, com certeza você anda percebendo que o melhor é o equilíbrio pra tudo.

    Parabéns pelo esforço e pela cabeça aberta em querer mudanças. Esse é o começo de tudo. O resto é esforço e consequencia.

    Beijos minha querida. Saudades!

Postar um comentário

Quando você comenta, também participa do Mamães em Rede! Comente, participe, pergunte. Obrigada!

 

©Copyright 2012 - Todos os Direitos Reservados - Mamães em Rede | Design By Arte Design